>Bom dia, tarde ou noite leitores e leitoras, vem chegando mais um Links Defenestrados de Sábado pra colocar um pouco de amor nos seus corações de pedra.

Blog da Laah com música de qualidade:  Constelação reunida numa banda só
Blog do Lucas: Poesia de qualidade (YY)
Star Wars: Trollando Han Solo
Video: Sacaneando os pequeninos
Mortal Kombat: Qual o melhor Cosplay?

Pais e filhos: Filhos e vocações
Mortal Kombat²: Não da pra ser legal nesse mundo
Sexos: Diferença entre a visão feminina e a masculina
Star Wars: O Musical PROIBIDO!
Memes: OMG!
Memes²: Pai troll

Música da Semana: Weezer – (If You’re Wondering If I Want You To) I Want You Too

Bom final de semana e não esqueçam de alongar os braços.

>Sim, mais um Top 10 no mesmo dia, pra aproveitar a pegada. Nesse top 10 vou falar sobre filme de vampiro, mas nada de Crepúsculo, porque, por favor, aquilo faz Vlad Tepes se debater no caixão de tanto ódio.
Com a ajuda do meu amigo Rudolfo, listamos alguns dos melhores filmes de vampiro, sem muita enrolação pra quem não gosta dessa papagaiada de purpurina ao sol.

10- Dracula 2000

9-Blade Trinity

8- A Rainha dos Condenados

7- Dracula Morto Mas Feliz

6- Forsaken – Vampiros do Deserto

5- Lost Boys

4-Nosferatu

3- Dracula de Bram Stocker

2- Daybreakers

1- Escuridão Mortal

Depois de ver esses filmes, sua namorada nunca mais te chamará pra ver Crepúsculo.

>Se tem uma coisa que me incomoda desde sempre são jogos baseados em filmes. No geral são feitos com a tecnologia top de linha da época em que são lançados mas ainda assim não é suficiente pra agradar quem joga.

Iron Man

Eu sempre fui fã do Homem de Ferro, na HQ ou no cinema, agora no video-game eu tenho vontade de arrancar meus olhos quando me lembro dos jogos.
O jogo teve várias versões, Nintendo DS, PC, PS3, X-Box e por incrivel que pareça até PS2.
Cheguei a jogar a versão de DS e de PC do primeiro (sendo essa idêntica à de PS2) e joguei um pouco do segundo no PS3 e no DS. Controles simples, inimigos em nível retardado que não causam quase nenhum dano. Se você botar uma criança pra jogar ela fecha. O grande problema são os gráficos. Na versão de PC eu me senti jogando um Nintendo 64.

Reservoir Dogs

Baseado no primeiro filme de Quentin Tarantino, Reservoir Dogs é um jogo de ação e tiro em terceira pessoa, armamentos variados e de bons gráficos pra época em que foi lançado e é fiel à história,só tem alguns problemas como a grande repetição de fases mudando só o personagem, o que não é lá muita coisa e a dificuldade extrema. No modo easy você se bate pra passar a maior parte das fases. Um problema que encontraram para fazer o jogo foi que boa parte dos atores que participaram do filme não quiseram emprestar suas faces ou vozes pro jogo, ficando realmente estranho pra quem viu o filme.

Fantastic Four

Jogo ruim baseado num filme ruim. Dava pra resumir só nisso, mas a vontade de descer a lenha é maior. Na falta do que inventar sobre a história de um filme chato e com vontade de fazer um jogo de ação longo e sacal, surge Fantastic Four – The Game com puzzles repetitivos, robôs gigantes e múmias astecas. E acreditar que perdi meu tempo baixando isso. Tinha gráficos ruins, comandos complexos e uma história fraca tentando adaptar personagens das HQs ao filme.

Ghost Rider

Esse jogo se duvidar ficou melhor que o filme, o que não quer dizer nada. No filme eu já estava doido pra receber um “olhar da penitência” e me livrar do sofrimento das lembranças dele. O jogo comete o mesmo erro do Fantastic Four e do Iron Man ao adicionar vários inimigos da HQ ao jogo. E isso ainda é o ponto alto do jogo. Tive que esperar pelo Marvel Ultimate Alliance pra ver um jogo decente com Johnny Blaze.

Batman Begins

Jogo do Batman baseado no filme homônimo, com o Bruce Wayne de língua presa. Os gráficos eram bem detalhados e a história era fiel ao filme, os pontos positivos param por aí. O personagem é lento, extremamente travado, um ninja com treinamento assim não duraria 2 minutos na liga das sombras. O Batmóvel tem um controle péssimo e os acessórios são limitados. Bruce Wayne foi treinado para ser um assassino, ninja, das trevas e no jogo mal consegue se esconder nas sombras tem tomar um tiro. Me envergonha muito.

The Crow – City Of Angels

Até passou pela minha cabeça deixar esse jogo passar e não colocá-lo na lista, principalmente por ser um jogo de PS One e por eu ser fã da série O Corvo, mas sem condições. Esse jogo é baseado num filme de 1996, como da pra notar pela foto os cenários não eram mal feitos, já os personagens puro píxel.
Parece um beat’em up de quinta. Ficaria menos vergonhoso fazer um 2D estilo Streets of Rage.

Street Fighter The Game of The Movie

Sabe quando você pensa que algo que já está ruim não tem como ficar pior? Isso é o jogo baseado no filme do Street Fighter. Sim! Aquele com o Van Damme como você pode ver ali na imagem. Além de colocar Ryu e Ken como meros coadjuvantes ainda vemos personagens que nem estavam no filme e eu tenho a felicidade de não ter nem tocado nesse cartucho. Lançado junto com o filme, usando a mesma tecnologia de “filmagem” do Mortal Kombat utilizando atores reais, o jogo deu mais um motivo pra Raul Julia ter morrido antes da estréia. Isso sem dúvida acabaria com a carreira dele no cinema.

X-Men 3 – The Official Game

Eu não sei se o fato desse jogo não ter muito a ver com o filme é bom ou ruim. O jogo se passa entre o segundo e o terceiro filme da franquia X-Men. Você joga com Wolverine, Noturno e Homem de Gelo. Os gráficos são bons e a jogabilidade é fácil, a parte chata é que além da história fraca, é bem repetitiva. Nas fases do Wolverine você tem que cuidar pra não morrer triturado por soldados, mesmo você tendo ossos de adamantium, fator de cura, garras e ser mais velho que o Professor X você ainda pode ser massacrado por um humano com um bastão de choque. As fases do noturno são ridiculamente fáceis onde é só você teleportar atrás dele que tá tudo bem, luta vencida e o Homem de Gelo é praticamente um figurante que só pega meia dúzia de inimigos grandes e lerdos ou voadores.

Fight Club

Quem viu o filme sabe que um jogo dele daria um excelente game de ação. Acho que quem fez o jogo não viu o filme. É um jogo de luta MUITO RUIM que faz parecer que os personagens tomaram muita bomba. No filme a parte do Clube da Luta em si é mínima, a intenção não é a luta, é um filme que fala sobre sociedade e consumismo, não num bando de machos descamisados se surrando. Ponto positivo? Bem, tem vários personagens do filme mesmo, até aqueles que não tinham importância.

X-Men Origins Wolverine

A Marvel tem pisado em ovos ao fazer jogos, fatão. No jogo do filme homônimo nós fazemos toda a trajetória de James Logan numa história ruim, desde quando ele tinha garras de osso.  Wolverine faz e acontece e tem que se empenhar como se não houvesse amanhã pra matar um inimigo qualquer. Se o Logan dos filmes fizesse um terço do que o Logan do jogo faz o Magneto não passaria da primeira metade do primeiro filme. Logan pode dar uns saltos de 20 metros (e ele não voa). Um ponto interessante do jogo foi o sistema de danos que usaram pra deixar mais realista, quando Logan era atingido por algum golpe ou tiro o dano ficava evidente, chegando a mostrar até seus ossos de metal, só esse sistema tinha uma pequena falha… A roupa do Wolverine se regenerava junto com o resto do corpo.

>Mendranga contra as Drogas

Publicado: abril 15, 2011 em Uncategorized

>

>

>Review – Hobo With a Shotgun

Publicado: abril 15, 2011 em filme, review

>

Esse é um daqueles filmes que se você for uma pessoa normal não baixa a menos que tenha muita curiosidade. Se for muito curioso e normal aguenta 5 minutos e exclui. Eu vi inteiro.
É um filme que relembra muito os filmes trash anos 80, não recomendo a ninguém, mas pelo menos se você tiver um pouco de rancor no seu coração, vai rir de alguns momentos.

A história começa quando um mendigo chega de trem na cidade chamada “Hope City” ou “Cidade da Esperança”, lá ele pretende juntar dinheiro, comprar um cortador de grama e começar seu próprio negócio, mas nada é fácil pra ninguém.

No mesmo dia ele já presencia a onda de violência que toma conta da cidade, comandada por uma família que mata sem pensar duas vezes e vive na base de tráfico e homicídios.
Logo no começo o irmão do chefe da família já é decapitado em frente a todas as pessoas da cidade e ninguém faz nada a respeito.
O mendigo numa tentativa de salvar uma prostituta de um dos filhos do chefe da cidade acaba sendo brutalizado até pela policia local que se vendeu para o crime.
Salvo pela prostituta, o protagonista resolve comprar seu cortador de grama e seguir com a vida, porém um assalto à loja de penhores em que estava muda sua opção e ele acaba comprando uma escopeta para salvar a todos.
E não para por aí! Ele começa a combater o crime UM CARTUCHO POR VEZ.
Sim, esse é o lema do filme.

Depois de ver esse filme eu percebi o quanto eu desperdiço meu tempo com coisas ruins.
Destaque para a cena onde um dor irmãos tenta matar o mendigo com um par de patins de gelo e o outro tenta matar a prostituta com uma serra de mão e ela gritando loucamente enquanto ele corta a garganta dela.
MUITO RUIM.

Da série de trailers falsos do projeto Grindhouse de Tarantino e Rodriguez que se tornaram realidade, esse foi o pior.

>

Essa é a coisa mais doentia e engraçada que eu já vi na minha vida ASHUASDHUSUH

Créditos: Gastação TV